OUVIR  

Clube FM: (83)3531-4379  WHATSAPP 9.9999-2683

POLÍTICA

Gervásio Maia participa de encontro do PSB e destaca as ações do governo no Sertão da Paraíba. FOTOS!

Por Luzia de Sousa

30/07/2017 às 10h34

 Evento no Sertão da Paraíba, do PSB

O presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, deputado estadual Gervásio Maia (PSB) participou do encontro regional do partido, realizado neste sábado (29), na cidade de Patos. Na ocasião, o chefe do legislativo ressaltou as obras do governo no Sertão paraibano.

“O trabalho realizado pela gestão do PSB mudou a cara deste estado. Hoje, ninguém mais vive no isolamento, foram mais de dois mil quilômetros de asfalto interligando cidades que há décadas esperavam o desenvolvimento. Só um governo comprometido com o povo tem o cuidado de olhar para todas as cidades, todas as regiões e foi isso que o governador Ricardo Coutinho fez na Paraíba”, destacou Gervásio.

Já o governador Ricardo Coutinho ressaltou as obras complementares realizadas pelo Governo do Estado para a recepção das águas do Rio São Francisco.

“Nós somos o Estado com a melhor distribuição das águas do rio São Francisco. Estamos vivendo um momento histórico na Paraíba e em um momento mais difícil para o país. Precisamos dar as mãos para que nós consigamos ter uma grande vitória no próximo ano. Vitória do povo, vitória da realização de grandes obras, vitória do desenvolvimento, vitória da dignidade da política”, ressaltou Ricardo.

Também participaram do encontro, o secretário de Estado dos Recursos Hídricos e Meio Ambiente, João Azevedo; o presidente estadual do PSB, Edvaldo Rosas; os deputados Buba Germano, Antônio Mineral, Nabor Wanderley entre outras lideranças políticas e prefeitos da região.

Assessoria

Novo modelo de Educação trará economia de 22 milhões à Paraíba

O conselheiro Arthur Cunha Lima, relator do processo de inspeção especial de licitações e contratos da Secretaria de Educação do Estado, negou pedido cautelar do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Paraíba (Sintep-PB) para suspender o processo de seleção pública de Organizações Sociais (OSs) para atuar nas escolas da rede estadual. Comente no fim da matéria.

Leia mais notícias de Política no Portal Correio

O relator alegou, em sua decisão, que os itens apontados como prejudiciais foram revistos pelo Governo do Estado, além disso, que levou em consideração ao princípio da economicidade para fundamentar para manutenção do processo. 

O conselheiro ressaltou ainda, a expectativa de possível economia para o Estado de R$ 22,8 milhões com a implantação na fase inicial e de R$ 29 milhões na fase final, com base em um estudo abrangente e minucioso acerca da viabilidade operacional e econômica do objetivo almejado com a seleção pública deflagrada por meio do edital 001/2017 da concorrência pública, cujas propostas já foram apresentadas terça-feira (18) à Secretaria da Administração e já encaminhadas para análise na Secretaria de Educação, mas ainda sem data definida para início das atividades. 

Diferente do Sindicato, o presidente da Associação dos Professores em Licenciatura Plena do Estado da Paraíba (APLP), Bartolomeu Pontes, não engrossou as críticas projeto de modernização de gestão que o governo da Paraíba pretende realizar nas escolas estaduais. De acordo com o dirigente da associação a contratação de Organização Social para gerenciar não vai atingir a categoria. Essa opção feita pelo governo não vai atingir os nossos professores, porque a ideia é apenas a contratação de trabalhadores da atividade meio, e não da atividade fim. Então não temos nada contra a proposta”, afirmou. Apesar disso, ele pareceu preocupado com o futuro do setor diante dessa situação. “Só esperamos que no futuro isso não venha a chegar aos professores”, explicou Bartolomeu.

Benefício aos trabalhadores

O governador Ricardo Coutinho afirmou que a gestão pactuada promovida pelo Governo do Estado para serviços de apoio nas escolas públicas vai beneficiar milhares de trabalhadores do setor e melhorar a gestão dos equipamentos. Em seu programa semanal ‘Fala Governador’, ele ressaltou que não se trata de terceirização e muito menos de privatização, mas de uma medida positiva que vai resolver dois problemas, um deles é a regularização dos prestadores de serviços, e o outro e o da manutenção das escolas. “Uma bobagem enorme falar em privatização da educação. Confirmam na prática que não tem o que dizer do governo, aí ficam inventando mentiras. O que existe é mais uma ação positiva do Estado para resolver dois problemas: o dos prestadores de serviço, que existe há 30 anos, e não fui eu quem criou; e o da manutenção das escolas”, comentou. 

De acordo com Ricardo Coutinho, quando assumiu o Governo do Estado, em janeiro de 2011 herdou a herança de 36 mil servidores contratos de forma irregular e hoje tem 17 mil. “Quero dar o direito para eles se regularizarem. Quando assumi o governo tinha 36 mil pessoas nesta situação, contratadas sem nenhum direito inerente ao trabalhador, há mais de 30 anos sem carteira assinada. O Tribunal de Contas diz que essa situação é ilegal e eu quero regularizar, dando direito aos trabalhadores de apoio”, declarou.

Julgamento de Lula em segunda instância deve demorar em média um ano

A 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), responsável pelos processos da Operação Lava Jato, julgará em segunda instância o processo que levou anteontem (12) à condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Os desembargadores, sediados em Porto Alegre, têm levado em média um ano para julgar os casos da operação.

Foto: Rovena Rosa/ Agência Brasil

Se for condenado em segunda instância até 15 de agosto do ano que vem, quando se encerra o prazo para registro de candidaturas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Lula não poderá concorrer a cargo eletivo.

Isso porque a sentença de Moro prevê que Lula fique interditado para o exercício de cargo ou função pública por 19 anos, caso a decisão seja confirmada pelos desembargadores.

Aliados do ex-presidente têm afirmado que a decisão tem como objetivo inviabilizar sua candidatura à presidência da República em 2018.

O juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, estipulou pena de 9 anos e meio de prisão e determinou que Lula poderá responder em liberdade a fase recursal.

O resultado do julgamento em primeira instância foi comunicado às partes por meio de intimações publicadas no sistema eletrônico da Justiça Federal do Paraná (JFPR).

Os advogados de Lula têm até dez dias para abrir a intimação. A partir de então, passa a correr novo prazo de cinco dias para que a defesa apresente recurso.

Em um primeiro momento, a apelação será recebida pelo próprio juiz de primeira instância, Sérgio Moro, que fará uma avaliação técnica da peça e a remeterá ao tribunal.

No TRF4, os processos são encaminhados à 8ª Turma, composta pelos desembargadores federais João Pedro Gebran Neto, Leandro Paulsen e Victor Luiz dos Santos Laus.

Ao chegar no tribunal, as ações são abertas para vistas do Ministério Público Federal, responsável pela acusação, que pode gerar recursos contra as argumentações da defesa.

No papel de relator, Gebran será o responsável por analisar o processo de Lula e, em seguida, apresentar um relatório e a sua decisão a respeito do caso a Paulsen, revisor da 8ª Turma.

Quando este trâmite for finalizado, a data do julgamento será marcada.

Paulsen e Laus podem acompanhar ou discordar do voto do relator. Caso a decisão da 8ª Turma seja contrária ao pedido da defesa de Lula, os advogados podem entrar com novo recurso.

Caso a decisão colegiada seja unânime, encerra-se o julgamento em segunda instância.

Os desembargadores da 8ª Turma poderão votar pela absolvição de Lula, pela confirmação da sentença de Moro ou pela alteração da pena para mais ou para menos.

Desde a deflagração da Operação Lava Jato, o TRF4 concluiu o julgamento de 12 apelações contra 48 sentenças proferidas em primeira instância.

Até o momento, o tribunal absolveu cinco pessoas que haviam sido condenadas por Moro — inclusive o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, em um dos processos a que responde na Lava Jato.

Ele havia sido condenado a 15 anos e 4 meses de prisão, mas a 8ª Turma entendeu que a sentença em primeira instância havia sido fundamentada em depoimentos que não foram comprovados com outras provas.

O TRF4 manteve, ainda, dez sentenças condenatórias da 13ª Vara. Oito réus tiveram a pena reduzida e 16 tiveram a pena aumentada pelo Tribunal.

A 8ª Turma está atualmente com 16 apelações oriundas da Lava Jato pendentes para julgamento.

Destas, sete já estão sob análise do revisor. Outras três apelações foram registradas recentemente e ainda estão na fase de processamento inicial.

 

 

Lula já começa campanha para 2018 pelo Nordeste

Mesmo condenado a 9 anos e seis meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, no âmbito das investigações da Lava Jato o presidente Luiz Inácio Lula da Silva começará uma série de viagens pelo Nordeste, já em campanha.

A viagem deve começar a partir do dia 18 de agosto pela Bahia e se estenderá por todos os Estados, finalizando no estado do Maranhão. Há possibilidade de que a caravana aconteça de ônibus.

De acordo com a reportagem do Valor, Lula costura com aliados no Nordeste candidaturas que possam dar base política na Câmara e no Senado para ele, caso conquiste a eleição de 2018. As pesquisas hoje revelam que está possibilidade é cada vez mais real.

Lula escolheu a região onde tem seus mais altos índices de popularidade e de intenção de votos para iniciar a divulgação de sua pré-candidatura. A estratégia de defesa do ex-presidente passa pelo fortalecimento de seu nome para a disputa presidencial de 2018.

 

Golpe no WhatsApp promete vaga de emprego no Carrefour; saiba se prevenir

Os usuários do WhatsApp precisam ficar mais uma vez atentos. Um novo golpe no aplicativo promete participação em um falso processo seletivo da rede de supermercados Carrefour para infectar o celular da vítima ou realizar cobranças indevidas através de SMS.


De acordo com a PSafe, em menos de 24 horas, mais de 200 mil pessoas já compartilharam a falsa promessa. “O número de acessos desse golpe não para de crescer, com média de 10 mil cliques por hora, devido à rápida disseminação via WhatsApp”, comenta Emilio Simoni, gerente de Segurança da PSafe.


O golpe funciona da seguinte forma: a vítima recebe um link pelo aplicativo, alertando que a rede de supermercados está contratando profissionais com urgência, sem necessidade de ter experiência e para início imediato. Ao acessar o endereço para checar as vagas disponíveis, é solicitado que o usuário responda a três perguntas para poder se candidatar.


Independentemente das respostas fornecidas, a vítima é encaminhada para uma nova página na qual alega que, para poder agendar a suposta entrevista de emprego, a pessoa deve compartilhar o link com 15 amigos via WhatsApp, para que possam “preencher o mais rápido possível as vagas”.


Após o compartilhamento, o usuário é encaminhado para se cadastrar em serviços de SMS pago – que efetuam cobranças indevidas – ou baixar apps falsos, que podem infectar o smartphone. O ataque ainda conta com comentários de falsos usuários alegando que conseguiram a vaga de emprego, com o intuito de validar o golpe.


Para não cair nesse tipo de golpes, os usuários devem sempre consultar as páginas oficiais de empresas para se certificarem que se trata de uma oportunidade verídica. Além de evitar abrir links suspeitos e manter um antivírus instalado no celular.


Olhar Digital

///// ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Na FM 104,9 Agora!

Temos 89 visitantes e Nenhum membro online