OUVIR  

Clube FM: (83)3531-4379  WHATSAPP 9.9999-2683

POLICIAL

Segundo suspeito de matar padre com 29 facadas na PB ainda é procurado

Vinte dias após o assassinato do padre Pedro Gomes Bezerra, morto com 29 facadas no dia 23 de agosto, dentro casa paroquial de Borborema, a 135 km de João Pessoa, continua foragido o segundo suspeito do crime, um ex-coroinha de 18 anos.

Leia também: Assassinato de padre foi premeditado para roubo do cofre da igreja, diz delegado

Ao Portal Correio, o delegado que investiga o caso, Diógenes Fernandes, contou que a polícia vem recebendo relatos de que o ex-coroinha já teria até fugido do estado, mas as informações não foram confirmadas.

“Recebemos diversas denúncias de que ele teria embarcado em um avião e ido para casa de familiares, mas também de que ele estaria escondido perto de Borborema esperando a família contratar um bom advogado. Porém, nenhuma dessas informações foram confirmadas e, com isso, seguimos com as investigações e ouvindo testemunhas”, afirmou o delegado.

O caso

O padre Pedro Gomes Bezerra foi morto com 29 facadas em crime que, segundo a polícia, foi premeditado pelo ex-coroinha, que visava roubar o cofre da igreja, que fica na casa paroquial, residência onde o crime aconteceu.

Delegada justifica quebras constantes do rabecão de Cajazeiras e levará a questão para secretário

Por Jocivan Pinheiro

05/09/2017 às 15h54 • atualizado em 05/09/2017 às 15h58

 

Na próxima reunião entre gestores de segurança pública do Estado e as polícias Civil e Militar, que acontecerá em Catolé do Rocha, uma das pautas que a delegada seccional de Cajazeiras Patrícia Forny vai levar para o secretário de Segurança é o rabecão que atende a região.

Por ser apenas um veículo realizando constantes e longas viagens, o rabecão quebra com frequência e muitas vezes não está presente para atender a um caso porque já está atendendo a outro. Esses e outros problemas geram a demora no recolhimento dos corpos e a consequente revolta da população.

“Assuntos como esses são a nossa pauta porque ali nós levamos as nossas dificuldades. Realmente o rabecão é um calcanhar de Aquiles. Não é que não existe manutenção. O problema é que nosso rabecão tem muito mais funções do que atender aos casos de homicídios, porque nós somos obrigados, nos casos de mortes violentas, a encaminhar o corpo para que ele seja periciado, e nossa menor viagem é para Patos, então significa que é um carro que roda muito. As viagens constantes muitas vezes tiram ele de circulação no pior momento”, justifica a delegada.

VEJA TAMBÉM: Delegada desmente boatos e avisa que a delegacia de São João do Rio do Peixe não vai ser fechada

Rabecão de Cajazeiras em manutenção

Entre as soluções possíveis para amenizar o problema estão a locação de outro veículo ou deixar o rabecão sob a responsabilidade da Polícia Científica. Mas enquanto isso não acontece, a delegada garantiu que a Polícia Civil estará fazendo todo esforço possível para que, mesmo com apenas um veículo, a demora no recolhimento dos corpos não seja tão grande.

“O problema que nós temos tido com o rabecão não pode empanar todo o trabalho que a Polícia Civil faz que tem sido exitoso. Nós temos tido bons resultados. Enquanto ele estiver sob nossa responsabilidade, o que nós temos que fazer é o melhor trabalho possível e vamos torcer para que venha uma condição melhor da gente fazer isso. Eu tenho certeza que em breve a gente vai ter uma posição mais favorável em relação a isso. Enquanto não, a gente vai se empenhando.”

DIÁRIO DO SERTÃO

Polícia enfrenta quadrilha de bancos e apreende arsenal dos criminosos

Foto: Secom/PB

As Polícias Militares da Paraíba e do Rio Grande do Norte apreenderam três fuzis, entre eles um AK-47 (arma russa que foi fabricada na Segunda Guerra Mundial), três espingardas calibre 12, duas pistolas, vários explosivos, sete coletes e dois carros, neste domingo (3), após um confronto que teve mais de meia hora de intensa troca de tiros, entre as cidades de Janduís e Campo Grande, no Oeste do Estado do Rio Grande do Norte.

Na ação, quatro criminosos que receberam os policiais a tiros foram baleados, ainda chegaram a ser socorridos pela própria PM, mas não resistiram e morreram.

Eles fazem parte da quadrilha responsável por atacar, por volta das 4h40 da manhã, a agência do banco do Bradesco da cidade de Brejo do Cruz, no sertão da Paraíba.

Os suspeitos tentaram escapar da ação da PM mudando a forma e o horário de agir, já que durante toda a madrugada várias viaturas realizaram a Operação Madrugadão na região, com o objetivo de prender as quadrilhas envolvidas neste tipo de crime. Com a mudança do horário, a PM contou com uma ‘aliada’ a mais para prendê-los: a população.

Foto: Secom/PB

Foto: Secom/PB

Pessoas que presenciaram o crime e a passagem da quadrilha pelas localidades durante a fuga foram indicando, através de denúncias, a rota utilizada pelos acusados, que foram encontrados em uma fazenda, na divisa das cidades de Janduís e Campo Grande, distante 70 km do município paraibano onde eles estouraram o banco.

A quadrilha é formada por criminosos do Rio Grande do Norte e os demais integrantes já foram identificados.

O arsenal apreendido foi levado para a Delegacia de Polícia Civil, em Patu-RN. Durante a ação que prendeu os bandidos, um policial paraibano foi ferido de raspão e recebeu atendimento no hospital de Caicó-RN, onde permanece internado e acompanhado pela Polícia Militar da Paraíba.

Os corpos dos quatro criminosos que morreram após atirar na PM, foram levados para uma unidade do Instituto Técnico-Científico de Polícia do Rio Grande do Norte (ITEP).

O crime – Por volta das 4h40 da manhã, a quadrilha chegou à cidade de Brejo do Cruz, com os integrantes vestindo roupas rajadas e todos encapuzados.

Foto: Secom/PB

Foto: Secom/PB

Eles estavam em vários carros e cada um ficou em um ponto da cidade com armas de grosso calibre, enquanto quatro criminosos explodiam os caixas eletrônicos da agência.

Os acusados não conseguiram levar dinheiro e fugiram assim que perceberam que estava chegando reforço policial, espalhando grampos pela pista durante a fuga.

A quadrilha foi perseguida e seus integrantes cercados no Rio Grande do Norte, em uma ação que mobilizou policiais militares dos dois Estados, tendo como desfecho a apreensão de todo o arsenal e os carros usados no crime.

 

Bolsonaro se solidariza com vigilante morto em João Pessoa e pede revogação do estatuto do desarmamento

O deputado federal Jair Bolsonaro gravou um vídeo se solidarizando com o do vigilante Fábio Alves de Lima, de 38 anos, que foi baleado e morreu ao tentar evitar que uma aluna da escola e sua mãe fossem assaltadas na última sexta-feira (1º). Bolsonaro se diz chocado com o caso e pediu mudanças na legislação brasileira e a revogação do estatuto do desarmamento. O vídeo foi divulgado na página de Julian Lemos, no Facebook.

No vídeo, Bolsonaro defende a revogação estatuto do desarmamento para fazer com que o cidadão de bem consiga o porte de arma, para que em situações como essa, possam intervir e até mesmo atirar, se for necessário.

"Não podemos achar que políticas passifistas como soltando pombinhas ou abraçado monumentos pelo Brasil, farão com que os marginais vão retroceder de cometer crimes como esse", disse o deputado.

Fábio havia sido alvejado na cabeça quando tentou interferir em um assalto nas proximidades da escola em que trabalhava como vigilante, no bairro dos Estados. O vigilante teria percebido a abordagem dos assaltantes e uma mulher e tentado evitar o crime, chegando a entrar em luta corporal com um dos acusados. No entanto, um comparsa que estaria dando apoio ao crime se aproximou de Fábio e atirou na vítima. Fábio foi atingido na cabeça. Apesar de ter passado por procedimento cirúrgico de emergência, ele não resistiu à gravidade dos ferimentos e veio a óbito, de acordo com boletim divulgado pela unidade de saúde.

 

Superintendente da PRF-PB esclarece fechamentos de postos rodoviários no estado

O superintendente da Polícia Rodoviária Federal na Paraíba Douglas Batista explicou o motivo pelo qual alguns postos rodoviários estão sendo fechados no interior do estado. O assunto chegou a ser levantado inclusive na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) durante esta semana. Em seus pronunciamentos, os parlamentares se referiam especificamente aos postos localizados no município de Campina Grande, no Agreste, e na cidade de São Mamede, no Sertão da Paraíba, ambos na BR-230.

O deputado Janduhy Carneiro foi um dos parlamentares que chamou atenção para o tema e demonstrou preocupação com a informação de que a PRF estaria sofrendo corte no orçamento por parte dos recursos repassados pelo Governo Federal. "Estamos preocupados com as perdas salariais de instituições como a Polícia Federal e a Polícia Rodoviária Federal, que são instituições extremamente respeitadas em nosso país", declarou Janduhy.

O deputado Ricardo Barbosa chegou a afirmar que o momento é de "sucateamento da Polícia Rodoviária". Ricardo Barbosa destacou a insegurança em rodovias federais que cortam a Paraíba e disse que seria absolutamente inaceitável que os postos da PRF na Paraíba fechem. "Os postos são fundamentais e importantes para a manutenção da segurança dos que transitam e dos milhares de veículos e cidadãos que trafegam nessas rodovias federais em nosso estado", pontuou Barbosa.

Segundo informações repassadas pelo superintendente da PRF no estado, o inspetor Douglas Batista, os postos foram fechados para que possam ser reformados, passando inclusive por uma atualização estrutural:

- Esses postos foram fechados temporariamente, pois serão reconstruídos. Na realidade, o efetivo foi realocado daquelas unidades para que possam ser demolidos e construídos novas unidades operacionais - afirmou Douglas.

///// ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Na FM 104,9 Agora!

Temos 186 visitantes e Nenhum membro online