OUVIR  

Clube FM: (83)3531-4379  WHATSAPP 9.9999-2683

POLÍTICA

Daniella Ribeiro e Veneziano Vital são eleitos senadores; Couto e Cássio estão fora

A deputada estadual Daniella Ribeiro (Progressistas) e o deputado federal Veneziano Vital do Rêgo (PSB) foram eleitos senadores da República pela Paraíba e assumem mandato em Brasília a partir do dia 1 de janeiro. Eles substituem Raimundo Lira e Cássio Cunha Lima no Senado Federal.

Veneziano foi o mais votado, com 844.786 votos, enquanto Daniella foi a preferida de 831.701 eleitores paraibanos.

Daniella Ribeiro está em seu segundo mandato de deputada estadual pelo Partido Progressista (PP). Começou na vida política em 2004, quando foi candidata à vice-prefeita de Campina Grande na chapa do deputado Rômulo Gouveia. Em 2008, foi eleita vereadora. É formada em Pedagogia pela Universidade Federal da Paraíba

“Me sinto em paz. Hoje quando terminou a votação eu estava em paz, sabia o que tinha feito. Tenho uma trajetória limpa, então era só aguardar essa demonstração de carinho. Eu entrei por último, era a menos conhecida. Minha gratidão a Deus, aos amigos e amigas que me ajudaram, aos apoiadores que saíram de todos os lugares”, pontuou.

Daniella enalteceu o fato de ser a primeira senadora eleita pela Paraíba. “Fico muito feliz por ser a primeira mulher eleita”, afirmou.

Veneziano Vital foi foi prefeito de Campina Grande por dois mandatos, pelo MDB e vereador da cidade por duas legislaturas. Neste ano deixou o MDB e ingressou no PSB.

“Recebo com alegria de vitorioso, alegria com o resultado. Alegria de ver a Paraíba acolher as nossa proposituras, alegria de ter feito parte de uma chapa integrada, alegria de ver João ser eleito governnador no primeiro turno. Renovo minha gratidão a Deus, ao povo da Paraíba, aos meus amigos e familiares. São eles que estão mais próximos para proteger e mais uma vez, saíram gigantes nesse momento”, disse ao Portal MaisPB.

Polícia Federal e presidente do TRE consideram eleição tranquila na PB

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) avaliou como tranquila a eleição no período da manhã. A mesma avaliação foi feita pelo superintendente da Polícia Federal, André Viana.

“Chega a se desconfiar da tranquilidade, esperávamos mais agitação . Está muito tranquilo, o povo paraibano entendeu a mensagem e nosso trabalho será coroado de êxito”, afirmou o presidente.

Conforme o desembargador, apenas problemas pontuais no funcionamento das urnas eletrônicas foram detectados e solucionados prontamente.

“Tivemos incidentes. É um sistema fechado, mas é um equipamento eletrônico, com bateria. Alguns problemas acontecem, que são resolvidos de forma pratica e eficiente com nossos colaboradores que foram treinados para isso”, assegurou.

O superintendente da Polícia Federal na Paraíba, André Viana, também afirmou que o balanço do período da manhã é positivo e acrescentou que a eleição ocorre de forma tranquila na Paraíba. Segundo ele, não houve qualquer ocorrência em João Pessoa, no entanto, em Patos foram registradas duas ocorrências. “Torcemos para que continue assim até as 17h”, afirmou.

Mais de 20 casos de irregularidades são registrados pelo Boletim das Eleições do TRE-PB

No terceiro boletim parcial das ocorrências registradas pelo Centro de Comando e Controle das Eleições 2018, divulgado pelo Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) foram identificadas mais de 10 ocorrências nas cidades de Monteiro, Juarez Távora, Cajazeiras, João Pessoa, Patos, Caaporã e Mamanguape.

Dentre os crimes com mais destaque estão o de corrupção eleitoral com a compra de votos, e a divulgação irregular de de propaganda.

Em João Pessoa, foi detido na madrugada deste domingo, por volta de 1h, um homem foi detido com R$ 14 mil em dinheiro e santinhos de um candidato a deputado estadual, no bairro São José, em João Pessoa. A detenção foi realizada pela Polícia Militar que encaminhou o suspeito para a Polícia Federal, onde prestou depoimento e foi liberado. A Polícia Federal vai instaurar inquérito para encaminhar para a Justiça Eleitoral.

Outro caso foi registrado no Bairro dos Populares. Um suspeito que estava em uma motocicleta junto com mais duas pessoas foram encontrados com santinhos de candidatos e a quantia de R$ 200,00. Os suspeitos foram conduzidos até a delegacia da polícia civil para prestarem esclarecimentos.

Outra ocorrência foi identificada após um aglomerado de pessoas em frente a casa de um deputado, na cidade de Patos, mas que rapidamente foi dispersada pela polícia.

As demais ocorrências registraram um caso de desacato em que um funcionário de uma escola particular em João Pessoa foi detido por desobedecer uma determinação para ligar um aparelho de ar condicionado, no prédio da instituição. A Polícia Militar atendeu ao chamado da juíza eleitoral e encaminhou o homem até o Fórum Eleitoral.

Em Cajazeiras, um grupo que comprava bebida alcoólica em um bar foi abordado pela Polícia Militar. Os policiais recolheram o litro de cachaça e dispersaram as pessoas abordadas no local.

Em Monteiro, um homem foi preso por desacato a autoridade e resistência à prisão após os policiais realizarem abordagem por denúncia de compra e venda de votos. O homem abordado negou ser dono da casa onde o grupo estava e se exaltou com a equipe, segundo narra a PM. Sobre a denúncia de crime eleitoral, nada foi constatado.

A PM ainda dispersou pessoas que se reuniram na casa de um morador que conduziria o grupo para votar em Cachoeira dos Índios.

TSE confirma candidatura de Dilma Rousseff ao Senado Federal por Minas Gerais

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) manteve, em decisão unânime nesta quinta-feira (4), o deferimento do registro de candidatura da ex-presidente da República, Dilma Rousseff, ao cargo de senadora pelo estado de Minas Gerais nas eleições deste ano. Os ministros afirmaram que a candidata preenche todas as condições de elegibilidade e não incorre em qualquer causa de inelegibilidade que possa afastá-la da disputa.

A decisão desta quinta confirma a aprovação do registro de Dilma Rousseff pelo Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG). Ao analisar o caso, os ministros do TSE desproveram recursos ordinários propostos pelo Partido Novo e por Leonardo Victor de Oliveira contra a candidatura.

Em seu voto pela rejeição dos recursos, o relator, ministro Luís Roberto Barroso, afirmou que não cabe ao TSE extrair da condenação, em processo de impeachment, sanção de inabilitação para o exercício de função pública, cuja aplicação foi expressamente afastada pelo Senado Federal.

///// ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Na FM 104,9 Agora!

Temos 77 visitantes e Nenhum membro online