OUVIR  

Clube FM: (83)3531-4379  WHATSAPP 9.9999-2683

POLICIAL

PF faz operação contra esquema de merenda escolar e quentinhas no RJ

A Polícia Federal está nas ruas do Rio para cumprir 21 mandados de prisão temporária e mais de 30 de busca e apreensão, nesta sexta-feira (6), contra suspeitos de cometer irregularidades no fornecimento de quentinhas e de merenda escolar para escolas na Baixada Fluminense. Os agentes cumprem mandados no Rio, Niterói e Duque de Caxias.

Um dos mandados está sendo cumprido em um prédio na Avenida Lúcio Costa, Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, em frente à praia, onde mora o empresário Antônio Carlos Monteiro, dono da empresa Home Bread Indústria e Comércio, contratada para fornecer merenda escolar. Há pelo menos dois anos a empresa é investigada pelo Ministério Público Estadual e pelo Ministério Público Federal.

As acusações vão desde superfaturamento de merenda escolar a fraudes em licitações de fornecimento de quentinhas a presídios estaduais. Os agentes chegaram aos endereços dos suspeitos por volta das 6h. Cerca de 160 agentes participam da operação.

A Polícia Federal diz que há formação de cartel por parte de algumas empresas para desviar recursos públicos destinados à merenda escolar na Baixada Fluminense.

As investigações identificaram diversos procedimentos licitatórios viciados, com evidências de direcionamento dos certames, superfaturamento, corrupção, além da constatação de utilização de empresas constituídas em nome de “laranjas”, blindagem patrimonial e lavagem de dinheiro.

Os presos serão indiciados por formação de cartel, crime de licitações e corrupção ativa, dentre outros. Os presos serão levados para o sistema prisional do estado, onde permanecerão à disposição da Justiça.
 

G1

Homem diz que matou casal por ciúmes, mas polícia investiga tráfico de drogas

A Delegacia de Homicídios de Campina Grande apresentou, nessa terça-feira (03), o acusado de matar o casal Paulo Renato e Isabelle Alves no último dia 10 setembro, em um bar no Conjunto Severino Cabral/Bodocongó, em Campina Grande (PB).

O acusado se entregou nesta terça-feira e no depoimento afirmou que matou o casal por ciúmes. O homem ainda disse que não tinha intenção de matar a mulher, apenas o homem.

O outro envolvido, segundo a polícia, já foi identificado. Ele é o motoqueiro que pilotava a moto e levou o suspeito para praticar o assassinato. Ele segue foragido.

Para a polícia, o suspeito está mentindo. Os policiais acreditam que o motivo do duplo assassinato foi uma disputa pelo tráfico de drogas na região. 

O CASO

O casal de namorados foi assassinado em bar da Rua Isolda Barros Torquato, no Conjunto Severino Cabral, no Bairro Bodocongó. Segundo frequentadores do bar, o duplo homicídio aconteceu por volta das 20h00 do domingo (10/09).

Paulo Renato de Oliveira da Silva, de 27 anos, que morava nas Malvinas, foi assassinado com disparos na cabeça e no tórax. Já Isabelle Alves Messias Silva, de 21, que morava no Bairro Santa Rosa. foi morta com um disparo no pescoço. Ela tinha um filho de três anos, As investigações ficaram sob a responsabilidade da delegada Tatiana Barros e equipe. O casal se conhecia havia pouco tempo. 

Da Redação

PB ultrapassa 3.200 policiais formados para atuação no policiamento comunitário

A nova filosofia de policiamento, pautado na proximidade com a população e com o policial envolvido na busca por soluções dos principais problemas da comunidade, ganhou reforço, nessa terça-feira (26). É que a Polícia Militar concluiu a formação de mais 348 policiais para atuarem no policiamento comunitário, chegando a marca de 3.202 formações de 2011 até agora.

O comandante-geral da corporação, coronel Euller Chaves, que esteve na solenidade de conclusão do curso, no Centro de Educação da PM, destacou que o curso oferece à sociedade mais 348 promotores da paz e da ordem pública. “Porque acreditamos em uma polícia forte, comunitária, enérgica, treinada e capacitada para o combate, mas focada na paz e no olhar para a compreensão do mundo em sociedade. Esta é a nossa crença e será a nossa prática, com esses novos 348 promotores da paz e da ordem pública”, disse.

Para um dos policiais formados, o aluno soldado Jean Felipe Palmeira de Morais, o curso não apenas capacita, mas traz uma nova visão aos policiais. “Saímos deste curso com a visão de que muito mais do que policiais militares, somos policiais comunitários. Temos o dever de ser catalisadores das mudanças que a população tanto espera. Estaremos mais do que nunca ao lado da comunidade, ao lado dos cidadãos, pois a sociedade enxerga em nós não apenas a segurança, mas a esperança em dias melhores”, frisou.

Com as formações de 2011 até agora, a corporação aumenta em mais de 75% as formações realizadas de 1998 até o ano de 2010, período que apenas 796 policiais foram formados. Além dos cursos desenvolvidos pela corporação, nos últimos dois anos já foram enviados 14 policiais para participarem do curso internacional de multiplicador de polícia comunitária – sistema Koban – ministrado por policiais japoneses, nos Estados de Minas Gerais, São Paulo e Rio Grande do Sul.

A corporação paraibana teve ainda a tenente Dayana Cruz selecionada para participar do curso de promotor de polícia comunitária, no Japão, onde conheceu na prática o policiamento comunitário desenvolvido pela polícia japonesa, que serve de base para adaptação e aplicação na Paraíba.

Unidades de Polícia Solidária – A filosofia de polícia comunitária vem sendo aplicada por meio das 26 Unidades de Polícia Solidária no Estado e dos quadrantes de polícia preventiva, que além de desenvolverem o policiamento, oferecem projetos sociais e um canal de diálogo para discutir os problemas apontados pela comunidade, ainda que não sejam da esfera policial propriamente dita. São 16 UPS na Capital, cinco em Campina Grande, duas em Cabedelo, uma em Bayeux, uma em Santa Rita e outra em Guarabira.




Redação

Operação com 600 policiais detém 14 suspeitos por porte e posse ilegal de arma na Paraíba

Durante a 24ª edição da “Operação Impacto”, que contou com o reforço de quase 600 policiais militares em ações em todo estado, a Polícia Militar (PM) apreendeu 14 armas de fogo e deteve 14 suspeitos de porte e posse ilegal, nesse sábado (16) e na madrugada de domingo (17). A operação foi realizada na Região Metropolitana de João Pessoa, em Campina Grande, e no Sertão do estado, com apoio de 139 viaturas e motocicletas.

Leia mais Notícias no Portal Correio

Na Capital foram apreendidas quatro armas nos bairros do Roger, Grotão e Cruz das Armas. No Roger, policiais do 1º Batalhão prenderam três suspeitos que estavam com um revólver dentro de um carro. No Grotão, foi encontrado um homem com dois revólveres e 350 unidades de drogas, entre maconha e crack. Um revólver foi apreendido também em Cruz das Armas e um homem foi preso por porte ilegal. No município do Conde, policiais da 1ª Companhia Independente prenderam um ex-presidiário com um revólver. 

Em Campina Grande, dois adolescentes foram apreendidos com revólver, no bairro do Catolé, por policiais da Força Tática do 2º Batalhão. No bairro do Serrotão, a PM abordou um carro roubado com uma dupla que foi encontrada com um revólver. No Monte Castelo, outra dupla foi abordada e, com ela, além de um revólver, a PM localizou sete papelotes com cocaína.

O 10º Batalhão apreendeu três armas, sendo dois revólveres, deteve dois suspeitos, e recuperou uma espingarda deixada por um homem que fugiu ao ver os policiais. Policiais da 3ª Companhia do 14º Batalhão abordaram um casal em um carro e com a dupla a polícia encontrou uma espingarda calibre 12, escondida no banco do passageiro, e um revólver nas roupas da mulher. O casal e as armas foram levados para delegacia. Durante o período da Operação Impacto, a Polícia Militar recuperou também 11 veículos em sete cidades.

Preso o suspeito de liderar quadrilha especializada em clonagem de veículos, em JP

A Polícia Civil prendeu, nesta quarta-feira (13), um homem, no bairro do Geisel, em João Pessoa, suspeito de liderar uma quadrilha interestadual especializada em roubos, furtos, clonagem e adulteração de veículos de luxo.

Leia mais Notícias no Portal Correio

De acordo com a polícia, o grupo vinha sendo monitorado havia um mês. Após depoimento de alguns membros, os policiais conseguiram chegar até o endereço do suspeito, que estava com um veículo de luxo roubado. Ao todo, a polícia apreendeu oito carros com o grupo criminoso.

Ainda segundo, o líder da quadrilha agia roubando carros em São Paulo e comercializando-os na Paraíba. 

O delegado de Roubos de Veículos de João Pessoa, Getúlio Machado , disse que as investigações continuam em curso para apurar a extensão dos golpes aplicados pela quadrilha. Segundo ele, como foi preso com produto de roubo o suspeito pode ter o pedido de prisão preventiva nos próximos dias.

O preso está na Central de Polícia, no bairro do Geisel, onde permanece à disposição da Justiça.

///// ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Na FM 104,9 Agora!

Temos 40 visitantes e Nenhum membro online