OUVIR  

Clube FM: (83)3531-4379  WHATSAPP 9.9999-2683

NOTÍCIAS

Mega-Sena pode pagar R$ 30 mi neste sábado

A Mega-Sena vai sortear um prêmio de R$ 30 milhões neste sábado (31), de acordo com estimativas da CEF (Caixa Econômica Federal). As dezenas do concurso 1.756 serão sorteadas às 20h25 (horário de Brasília).

Na última quarta-feira (28), ninguém acertou as seis dezenas e o prêmio ficou acumulado. Os números sorteados foram: 02 — 05 — 08 — 18 — 30 — 48. Entre os apostadores, 123 acertaram a quina e receberam R$ 23.130,69 cada. Outras 8.784 apostas fizeram quatro pontos e faturaram R$ 462,70.

Cada jogo de seis números custa R$ 3,50. Quanto mais números marcar, maior o preço da aposta e maiores as chances de faturar o prêmio mais cobiçado do País.

A Mega-Sena paga milhões para o acertador dos 6 números sorteados. Ainda é possível ganhar prêmios ao acertar 4 ou 5 números dentre os 60 disponíveis no volante de apostas.

 Para jogar, você deve marcar de 6 a 15 números do volante, podendo deixar que o sistema escolha os números para você (Surpresinha) e/ou concorrer com a mesma aposta por 2, 4 ou 8 concursos consecutivos (Teimosinha).

Outra opção é o Bolão Caixa, que permite ao apostador fazer apostas em grupo. Basta preencher o campo próprio no volante ou solicitar ao atendente da lotérica. Você também pode comprar cotas de bolões organizados pelas lotéricas.

Neste caso, poderá ser cobrada uma Tarifa de Serviço adicional de até 35% do valor da cota. Na Mega-Sena, os bolões tem preço mínimo de R$ 10. Porém, cada cota não pode ser inferior a R$ 4. É possível realizar um bolão de no mínimo 2 e no máximo 100 cotas.

R7

Coaf mostra movimentações milionárias nas contas de Lula e mais 3

Há duas semanas, analistas doConselho de Controle de Atividades Financeiras, mais conhecido pela sigla Coaf, terminaram o trabalho mais difícil que já fizeram. O Coaf, subordinado oficialmente ao Ministério da Fazenda, é a agência do governo responsável por combater a lavagem de dinheiro no Brasil. Reúne, analisa e compartilha com o Ministério Público e a Polícia Federal informações sobre operações financeiras com suspeita de irregularidades.

Naquela sexta-feira, dia 23 de outubro, os analistas do Coaf entregavam à chefia o Relatório de Inteligência Financeira 18.340. Em 32 páginas, eles apresentaram o que lhes foi pedido: todas as transações bancárias, com indícios de irregularidades, envolvendo, entre outros, os quatro principais chefes petistas sob investigação da PF, do Ministério Público e do Congresso.

Eis o quarteto que estrela o relatório: Luiz Inácio Lula da Silva, ex-presidente da República, líder máximo do PT e hoje lobista; Antonio Palocci, ministro da Casa Civil no primeiro mandato de Dilma Rousseff, operador da campanha presidencial de 2010 e hoje lobista;Erenice Guerra, ministra da Casa Civil no segundo mandato de Lula, amiga de Dilma e hoje lobista; e, por fim, Fernando Pimentel, ministro na primeira gestão Dilma, também operador da campanha presidencial de 2010, hoje governador de Minas Gerais.

O Relatório 18.340, ao qual ÉPOCA teve acesso, foi enviado à CPI do BNDES. As informações contidas nele ajudarão, também, investigadores da Receita, da PF e do MP a avançar nas apurações dos esquemas multimilionários descobertos nas três operações que sacodem o Brasil: Lava Jato, Acrônimo e Zelotes. Essas investigações, aparentemente díspares entre si, têm muito em comum. Envolvem políticos da aliança que governa o país e grandes empresários. No caso da CPI do BNDES, os parlamentares investigam as suspeitas de que os líderes petistas tenham se locupletado com as operações de financiamento do banco, sobretudo as que beneficiaram o cartel de empreiteiras do petrolão.

SEGURO O ex-presidente  Lula e o relatório do Coaf (acima). Também foram identificadas operações de compra de títulos  de previdência  por R$ 6,2 milhões (Foto:  )

Ao todo, foram examinadas as contas bancárias e as aplicações financeirasde 103 pessoas e 188 empresas ligadas ao quarteto petista. As operações somam – prepare-se – quase meio bilhão de reais. Somente as transações envolvendo os quatro petistas representam cerca de R$ 300 milhões. Palocci, por exemplo, movimentou na conta-corrente de sua empresa de consultoria a quantia de R$ 185 milhões. Trata-se da maior devassa já realizada nas contas de pessoas que passaram pelo governo do PT. Há indícios de diversas irregularidades. Vão de transações financeiras incompatíveis com o patrimônio a saques em espécie, passando pela resistência em informar o motivo de uma grande operação e a incapacidade de comprovar a origem legal dos recursos.

FARTURA A empresa de Palocci movimentou as maiores quantias. O relatório (acima) mostra, entre seus clientes, a Caoa, suspeita de comprar uma medida provisória (Foto:  )
MISTÉRIO O governador Pimentel também fez aplicações de R$ 676 mil no mercado segurador sem prestar informações sobre a origem do dinheiro, segundo o Coaf (acima) (Foto:  )
LOBISTA Erenice, ex-ministra de Lula. Uma empresa de seu filho recebeu dinheiro de Fábio Baracat, suspeito de pagar propinas por contratos com o governo  (Foto:  )

O Coaf não faz juízo sobre as operações. Somente relata movimentações financeiras suspeitas de acordo com a lei e regras do mercado, como saques de dinheiro vivo na boca do caixa ou depósitos de larga monta que não tenham explicação aparente. O Coaf recebe essas informações diretamente dos bancos e corretoras. Eles são obrigados, também nos casos previstos em lei, a alertar o Coaf de operações “atípicas” envolvendo seus clientes. É obrigação do Coaf avisar as autoridades sobre operações suspeitas de crimes. A lavagem de dinheiro existe para esquentar recursos que tenham origem ou finalidade criminosa, como pagamentos de propina. Não cabe ao Coaf estipular se determinada transação é ilegal ou não. Cabe a ele somente informar a existência dessa transação às autoridades competentes, caso essa transação contenha características de uma operação de lavagem de dinheiro. Foi isso que o Coaf fez no caso do quarteto petista. Cabe agora à PF, ao MP e ao Congresso trabalhar detidamente sobre as informações reveladas pelo Coaf.

GRANDE FAMÍLIA Lula e família. Uma de suas empresas transferiu R$ 48 mil a Fernando Bittar, sócio de um dos filhos do petista e dono de um sítio abribuído ao ex-presidente (Foto:  )
Globo/Época

Protesto contra projeto de Eduardo Cunha fecha Avenida Paulista

Manifestantes contrários ao projeto de lei (PL 5.069/13) que transforma em crime contra a vida o anúncio de meios, substância, processo ou objetos abortivos, fizeram nessa sexta (30) uma passeata com passeata na Avenida Paulista.

Os coletivos, movimentos de mulheres e simpatizantes da causa também pedem a saída do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), autor da propsotsa. Às 18h20, o grupo fechou os dois lados da avenida na altura da Praça do Ciclista.

Meia hora depois, iniciaram uma caminhada na pista sentido Paraíso. Às 19h45, os manifestatantes estavam na altura da Rua Pamplona.

O texto do PL, aprovado no dia 21 na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) por 37 votos a 14, ainda criminaliza e cria penalidades para quem induz, instiga ou auxilia um aborto.

"Nos reunimos hoje porque o PL 5.069, aprovado na CCJ, dificulta o acesso à profilaxia para vítimas de estupro e pode, inclusive, impedir o acesso à pílula do dia seguinte", disse a militante do coletivo Juntas, Samia Bonfim.

Samia explicou que hoje existem dois tipos de aborto legalizados: quando o bebê é anencéfalo e para vítimas de estupro. "Essas mulheres podem procurar o hospital, não precisam apresentar boletim de ocorrência, nem exame de corpo de delito. Elas dizem que foram estupradas e com isso conseguem fazer o procedimento, inclusive todo tipo de profilaxia", disse.

No PL 5.069, a mulher precisará passar por todo esse procedimento policial, acrescentou Samia. "Isso é complicado, porque para a mulher que foi estuprada já é muito difícil. Aí tem que se submeter a essa situação e comprovar que foi estuprada", disse a militante.

Portal Correio

Menina baleada em aniversário segue em estado grave; criminosos não foram presos

Permanece internada em estado grave a menina de quatro anos baleada durante uma festa no bairro Treze de Maio, em João Pessoa. Ela está na UTI do Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa desde a noite da segunda-feira (26), quando foi atingida por tiros no peito e no braço enquanto comemorava o próprio aniversário.

Leia mais Notícias no Portal Correio

Segundo a Polícia Militar, dois homens chegaram a casa onde acontecia a festa de aniversário e disseram que estavam à procura de uma pessoa, ainda não identificada. Os familiares da criança tentaram impedir a entrada da dupla fechando as portas, mas eles reagiram com tiros.

Dois parentes da criança também ficaram feridos. Um deles continua internado em estado regular no Hospital de Trauma da Capital, enquanto o outro recebeu alta na noite da quarta-feira (28).

Até a manhã desta sexta-feira (30), a polícia ainda não tinha elucidado o crime. O Portal Correio tentou contato com o chefe da Delegacia de Crimes Contra a Pessoa, Reinaldo Nóbrega, para saber se a polícia já tem pistas dos suspeitos ou se ouviu os parentes da menina na tentativa de identificar os criminosos, mas as ligações não foram atendidas.

Obras estão paradas em 70 municípios da Paraíba

A crise econômica e as sucessivas quedas no repasse de recursos para os municípios, levou mais de 70 prefeitos paraibanos a deixarem de utilizar as máquinas cedidas pelo Governo Federal, por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), como retroescavadeira, motoniveladora, caminhão caçamba, tratores e até carros-pipa, porque não têm condições de custear a manutenção, sem comprometerem o pagamento da folha. 

De acordo com o presidente da presidente da Federação das Associações dos Municípios da Paraíba (Famup), Tota Guedes, essas má- quinas estão inativas porque os gestores não têm dinheiro para abastecê-las. 

Ele revelou que além da paralisação das máquinas, também há possibilidade dos prefeitos encerrarem programas sociais, como Saúde da Famí- lia (PSF) e Samu, ainda este ano, caso não aumente o repasse para o custeio destes programas, que podem ser custeados pelos que sobrevivem do FPM.

 Correio da Paraíba.

Após greve, cliente paga contas sem juros em bancos até esta 5ª

Após 21 dias em greve, os bancários retornaram suas atividades nesta terça-feira (27). Com a situação normalizada, os clientes que não efetuaram o pagamento de suas contas, terão até essa quinta-feira (29) para fazerem seus pagamentos isentando-se dos juros.

Foram muitos os problemas gerados pela paralisação, entre eles, podemos destacar as contas com data de vencimento durante o período em que os bancos estiveram fechados.

Mas, uma liminar concedida pela Justiça Federal, na última quinta-feira (22), proíbe cobrança de juros, multas e encargos moratórios em faturas de boletos e cobranças que venceram durante o período da greve.

No retorno das atividades bancárias, ocorreu o que já era previsto: filas quilométricas, correria e tumulto nas agências, sem falar nos assaltos na saída dos usuários, fator corriqueiro no Brasil.

De acordo com a Fenabam, foi acordado com a categoria o reajuste de 10% em seus vencimentos, colocando quase todas as agências do País em funcionamento. Já o banco do Nordeste, segue parado e não tem previsão de retorno.

O cidadão, que ainda não efetuou o pagamento de seus boletos, deve ficar atento e agilizar sua ida às agências, caso contrário, perderá o benefício.

Isaac Pinto (Estagiário MaisPB)

 

///// ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Na FM 104,9 Agora!

Temos 36 visitantes e Nenhum membro online