OUVIR  

Clube FM: (83)3531-4379  WHATSAPP 9.9999-2683

CAJAZEIRAS

O juiz federal Sérgio Moro determinou nesta segunda-feira (9) que a defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva esclareça se possui os originais dos recibos que comprovam o pagamento de aluguéis de um apartamento vizinho ao que o petista mora, em Sã

Por Jocivan Pinheiro

09/10/2017 às 22h49 • atualizado em 09/10/2017 às 22h57

Ex-prefeito de Cajazeiras, Carlos Antonio

 

O ex-prefeito de Cajazeiras, Carlos Antônio Araújo de Oliveira, foi condenado a cinco anos e seis meses de prisão em decisão proferida nesta segunda-feira (9) pelo juiz Thiago Rabelo, da 1ª Vara da Comarca de Cajazeiras.

Carlos Antônio foi acusado pelo Ministério Público de utilizar bens, rendas e serviços públicos em proveito próprio, o que configura crime de responsabilidade.

Além da prisão, a sentença também determina que ele fique proibido de assumir cargo público, eletivo ou de nomeação. O Diário do Sertão tentou contato com o ex-prefeito, mas ele não atendeu nossas ligações.

VEJA TAMBÉM: Após retorno ao Hospital Regional de Cajazeiras, Carlos Antônio sonha com prefeitura em 2020

De acordo com o magistrado, nos meses de abril e maio de 2003, Carlos Antônio, então prefeito, autorizou a utilização de escavadeiras e caçambas da prefeitura em um serviço de terraplanagem de um terreno para a construção de um posto de gasolina em área de propriedade privada.

Em seu depoimento, o ex-prefeito afirmou que na época foi autorizada a utilização de uma enchedeira para a realização de uma obra de acesso ao posto de gasolina, e que o acesso ficaria em terreno de domínio público da União.

Mas o juiz ressaltou que o ex-prefeito não provou a legalidade da obra: “Por mais que o dever de provar os fatos acusatórios seja do Ministério Público, fatos excludentes de ilicitude devem ser provados por aquele que alega”, complementou.

O juiz disse ainda que há divergências nos depoimentos do acusado nas fases de inquérito e processual, e que as declarações prestadas em juízo confirmam o uso de bem público para fim privado.

O magistrado argumentou também que as teses levantadas pela defesa não foram suficientes para convencê-lo de que o ato praticado pelo ex-prefeito não foi ilícito, e que as testemunhas apresentadas resumiram-se a afirmar o desconhecimento dos fatos.

Para o juiz, o motivo do crime foi a ajuda privada utilizando-se da máquina pública com o fim de obter vantagens por apoiadores políticos.

DIÁRIO DO SERTÃO

Ricardo lança hoje em Cajazeiras projeto do Polo de Confecção

O lançamento oficial do projeto do Polo Têxtil do Sertão acontece nesta quarta-feira (04), às 10h, na Escola Técnica Estadual, em Cajazeiras e contará com a presença do governador Ricardo Coutinho. Na ocasião, o chefe do executivo estadual divulgará  os detalhes desta iniciativa que vai mudar a realidade do sertão paraibano nos próximos anos. O projeto de apoio a fabricação da confecção é uma ação defendida pelo deputado estadual Jeová Campos (PSB), desde 2007, época de seu primeiro mandato, e de muitas famílias que vivem, atualmente, da venda de confecções adquirida de Pernambuco ou do Ceará ou produzidas em pequena escala na região.

Com os incentivos dados pelo governo e que serão anunciados pelo governador na solenidade, explica Jeová Campos, a realidade do sertão vai mudar para muito melhor. “Além da comercialização da confecção, a região passará a ser produtora das peças, o que naturalmente vai movimentar a economia local, com a geração de emprego e renda, além de atrair novos investidores e investimentos. A história da economia do sertão começará a ser reescrita com esse Polo, que dará um ganho qualitativo e quantitativo nas oportunidades de trabalho da região”, adianta o deputado.

Para Jeová, o projeto do Polo Têxtil do Sertão terá um alcance social muito grande. “Das pessoas que trabalham hoje, ganhando o pão de cada dia, construindo a sua cidadania nas pequenas fábricas de Cajazeiras, 90% são mulheres, que usam a máquina de costura, que aprenderam o ofício empiricamente sem qualquer estudo. Com o Polo, elas terão a oportunidade de ter acesso a crédito, além de ter o direito de aprender na Escola Técnica, terão uma alíquota diferenciada, enfim, terão oportunidade de crescer”, afirmou o parlamentar.

Segundo o deputado estadual Jeová Campos (PSB) é grande a expectativa no sertão para o o anúncio dos detalhes do projeto. “Essa ação, que eu defendo desde 2007, me deixa muito feliz porque ela é a realização de um sonho que, tenho certeza, irá mudar a realidade das pessoas e da região para muito melhor. Às vezes, eu me sentia como um pássaro sozinho, mas hoje sei que essa caminhada ganhou vulto, apoio, incentivo e vai deixar de ser um sonho de poucos e virar realidade para muitos. Olho para trás e vejo que valeu a luta. Olho para frente e vislumbro uma nova realidade, com mais empregos, oportunidades e conquistas”, finaliza Jeová, que justificou sua ausência dos trabalhos legislativos da ALPB, nesta quarta-feira, porque vai participar do lançamento do Projeto.

Assessoria

FAISQUEIRA: Perseguição em Cachoeira, Aldemir aprovado, Marcos Barros causando ciúme e a volta de Carlos

Por Jocivan Pinheiro

01/10/2017 às 17h10

Os ‘muídos’ da política na coluna Faisqueira

 

Perseguição: O prefeito de Cachoeira dos Índios, Alan Seixas (PSB), teria transferido duas servidoras da sede para a zona rural, simplesmente porque tiraram uma fotografia com o ex-prefeito Bodinho. Volta-se a praticar neste recanto da Paraíba a política da perseguição, uma prática da década de 30.

Confirmada: No encontro estadual do PSB realizado no dia 23 de setembro, na capital do estado, a ex-prefeita de Cajazeiras, Denise Albuquerque, foi confirmada como candidata a deputada federal.

Não confirmado: Neste mesmo encontro, o nome do prefeito de Bernardino Batista, Gervásio Gomes, não foi confirmado como candidato a deputado estadual. Gervásio tem sido avaliado como um dos melhores gestores da Paraíba. A família resiste a este desejo dele ser candidato a deputado estadual. Vai ou não vai? Eis a questão!

Ciúme: O vereador de Cajazeiras, Marcos Barros, conhecido como bom articulador, embora não tenha votado no prefeito Zé Aldemir, estaria provocando ciúme entre os vereadores da base do governo, fato que levou o prefeito a comentar, ao ser indagado sobre este ‘lundu’: “Ciúme de político é pior que ciúme de mulher”. Marcos fez com Zé um ‘pacto de governabilidade’. O sol voltou a brilhar na ‘roça de Marcos’.

Aprovação: Em uma enquete realizada por telefone ao vivo e pelo WhatsApp no programa Trem das Onze (Rádio Alto Piranhas), 71,79% aprovaram o governo do prefeito de Cajazeiras, Zé Aldemir, e 28,21% o desaprovam. Estes dados foram coletados num período de grande bombardeio das oposições em cima de denúncias sobre possíveis irregularidades do setor de licitações.

Mídia bem produzida: O prefeito de Bernardino Batista, Gervásio Gomes, tem veiculado nas emissoras da região uns spots de rádio da melhor qualidade e de excelente conteúdo, além de na mídia impressa pontuar também as melhores ações desenvolvidas durante a semana. É quem melhor investe em publicidade na região do Alto Piranhas e que obtém resultados positivos.

Sonhando: Um grande ‘pedaço’ dos aliados de Ricardo Coutinho (PSB) em Cajazeiras, além de sonhar, já fez até promessa para que o governador seja candidato a senador. Já teria havido conversas de bastidores com a vice-governadora Lígia Feliciano para futuros pactos, alianças e apoios. Tem muito ‘nêgo’ esperto nos caminhos da política e sonhando em voz alta.

Passou o rodo: O deputado estadual Jeová Campos (PSB) tentou o apoio do prefeito de Cachoeira dos Índios, Alan Seixas, que é do mesmo partido, mas não obteve êxito. Buscou as oposições ao prefeito e sacramentou os nomes de dois ex-prefeitos: Bodin e Teta, e mais três vereadores. Com o desgaste natural de Alan, já tem aposta que Jeová será o mais votado nas terras cachoeirenses no retorno para a Casa Epitácio Pessoa.

Fogão de lenha: Com a nova política de preços do governo federal, de aumento quase diário de combustíveis, o botijão de gás vai se transformar em consumo de luxo e os não ‘abençoados’ vão voltar ao fogão de lenha para cozinhar o feijão nosso de cada dia. Em Cajazeiras já se vê muitas carroças de burro vendendo carvão pelas ruas da cidade. Ainda bem que o IBAMA foi fechado em Sousa.

Limpando os caminhos: O ex-prefeito de Cajazeiras, médico Carlos Antonio, sob a batuta do eminente advogado Paulo Sabino, já foi absolvido em seis ações cujos processos tramitavam na Vara Federal de Sousa e no Tribunal Federal na cidade do Recife. Segundo Dr. Paulo, outros processos que tramitam, em breve terão o mesmo destino: a absolvição. Enquanto isso, Carlos e Carlinhos fazem mutirão de cirurgias em um hospital do Ceará.

Raimundo Lira: O senador cajazeirense Raimundo Lira trabalha em Brasília todo o tempo em defesa dos municípios paraibanos e em especial os da região do Alto Piranhas, mas sempre lembrando aos mesmos para irem divulgando o seu nome como candidato a senador nas eleições de 2018. Lira é um dos poucos congressistas que vêm passando incólume diante do mar de lama da corrupção que tomou do país.

DIÁRIO DO SERTÃO

CAGEPA continua aguardando resultado de batimetria da ANA para tomar novas decisões sobre racionamento d água em Cajazeiras

Segundo o site da AESA (Agência de Gestão das Águas) do Estado da Paraíba o açude de Boqueirão de Piranhas localizado no distrito de Engenheiro Ávidos, possui atualmente um volume de 11,53 milhões de m³, o que representa 4,5% da sua capacidade total que é de 355.000.000 m³ de água. Se pegarmos por base as informações da CAGEPA que a cidade de Cajazeiras consume anualmente cerca de sete milhões de metros cúbicos e, que, esse mesmo volume é consumido pelo fenômeno da evaporação, á agua armazenada no manancial se fosse possível o seu consumo total, só daria para abastecer tranquilamente o município até meados de Abril, quando as águas da transposição deverão chegar a nossa região, pelo menos é o que promete a AESA.

eng

Porém, a coisa pode não ser bem o que aparenta. É que uma batimetria realizada pela ANA (Agência Nacional das Águas) poderá revelar um quadro desesperador para os cajazeirenses. Recentemente, técnicos do órgão estiveram realizando trabalhos de inspeção no açude de Boqueirão onde, na ocasião, foi constatado um volume de pouco mais de oito milhões de metros cúbicos, ou seja, três milhões a menos do que os dados divulgados pela agência.

O resultado da batimetria foi comunicado a CAGEPA com a orientação de diminuição na captação de água de 120 para 110 litros por segundo, dentro do processo de racionamento implantado pelo órgão. Uma nova determinação deverá ser feita por parte da ANA após o resultado final da batimetria que deverá está sendo enviada a CAGEPA nos próximos dias.

Para o gerente regional Cleudismar Alexandre (Neném da CAGEPA) a captação continuará sendo feita dentro do orientado, como também, o trabalho de racionamento, até que o resultado chegue de Brasília.

Diante de todos os fatos, a cidade de Cajazeiras poderá passar a ser abastecida em sua totalidade nos primeiros meses do ano pelo açude de Lagoa do Arroz que, atualmente, abastece a zona norte da cidade, além dos municípios de Santa Helena, São João do Rio do Peixe e Bom Jesus, que pelos dados da AESA possui hoje, metros cúbicos de água.

Blogdofurao.com

Nomeação de cunhado de Zé Aldemir é questionada no STF

Está tramitando no Supremo Tribunal Federal (STF) uma ação que questiona a nomeação de um cunhado do prefeito de Cajazeiras, José Aldemir.

O autor da ação é o ex-vice-prefeito do município Junior Araújo. O alvo é o secretário de Finanças, José Jesus Maurera Martinez.

O processo está sob a relatoria do ministro Edson Fachin, que proferiu despacho determinando a citação da parte contrária para apresentar contestação.

“Da leitura da petição inicial, verifica-se que o reclamante deixou de postular expressamente a citação do beneficiário da decisão impugnada para apresentar contestação, para que se dê cumprimento ao determinado pelo art. 989, III, do Código de Processo Civil, bem como de comprovar o recolhimento das custas (art. 290 do CPC)”, escreveu ele.

Recentemente o ministro Gilmar Mendes julgou um caso de nepotismo no Rio Grande do Sul. De acordo com o ministro, a proibição de nepotismo na administração pública não alcança os cargos de natureza política. “De fato, o Supremo Tribunal Federal possui decisões que fixam o entendimento segundo o qual os cargos de natureza política, como o de Secretário de Estado ou Secretário Municipal, não se submetem às hipóteses da Súmula Vinculante 13 do STF”.

///// CAJAZEIRAS

///// ÚLTIMAS NOTÍCIAS

SIGA NAS REDES SOCIAIS

   

FALE PARA SEUS AMIGOS QUE ESTÁ OUVINDO A FMCIDADE

Na FM 104,9 Agora!

Temos 64 visitantes e Nenhum membro online